APAE Curitiba, Geração Bizu e Youngers receberam o Prêmio Legado de Empreendedorismo Social e terão o investimento de R$ 10 mil para expansão de impacto

No dia 17 de outubro aconteceu a entrega do Prêmio Legado de Empreendedorismo Social, que selecionou três iniciativas para receberem o investimento de R$ 10 mil e expandirem o impacto de suas ações. Desde 2013, o Instituto Legado já capacitou mais de 160 negócios de todo o Brasil que contribuem para uma sociedade mais igualitária e sustentável. Confira os projetos vencedores do Projeto Legado 2019:

Apae – Apaexonados por Café

A instituição APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, nasceu em 1954, no Rio de Janeiro, com o objetivo de promover a atenção integral à pessoa com deficiência, prioritariamente aquela com deficiência intelectual e múltipla. A organização promove ações de defesa de direitos, prevenção, orientações, prestação de serviços e apoio às famílias, na busca do desenvolvimento integral, habilitação e reabilitação, melhoria da qualidade de vida e inclusão social da pessoa com deficiência intelectual e/ou múltiplas, na família e comunidade.

A organização criou o projeto “Apaexonados por café”, que promove a inclusão da pessoa com deficiência intelectual no mercado de trabalho, através da venda de um coffe feito especialmente pelas pessoas atendidas pela associação. Com o investimento recebido no Prêmio Legado de Empreendedorismo Social, a organização pretende expandir o projeto na contratação de funcionários e compra de materiais para a área de panificação.

Geração Bizu – Programa de empregabilidade

A Geração Bizu tem como propósito diminuir o índice de reincidência no Brasil de pessoas no sistema prisional, através do desenvolvimento emocional, social e profissional desta população. A criação do primeiro café social, o Espresso 7, no qual todos os  colaboradores são pessoas privadas de liberdade, promove a sensibilização para esta causa e traz um diálogo com a comunidade e governo sobre esta demanda.

Para o Projeto Legado, desenvolveram o programa de empregabilidade, que visa o desenvolvimento social e profissional para a população egressa do sistema carcerário com objetivo de inserção no mercado de trabalho. O projeto funciona da seguinte forma: a organização seleciona, em conjunto com o departamento prisional, os egressos que participarão das atividades. Eles passam por um treinamento de duas semanas, com dinâmicas e reflexões de autoconhecimento. Em segundo momento, eles partem para a reinserção no mercado de trabalho.

Segundo a fundadora do Geração Bizu, Fernanda Rossa, o investimento recebido pelo prêmio Legado será revertido na área de marketing e comercial.

Youngers – Projeto Lava Placas 

A Youngers é uma empresa de desenvolvimento humano com a proposta de estimular jovens e adolescentes através da oferta de espaços de diálogo e construção de identidade, junto com cursos de empreendedorismo básico, mentorias e acompanhamento de novos negócios, por meio de palestras, vivências, cursos e encaminhamentos profissionais para jovens na fase do 1º emprego.

Com o valor do prêmio, a organização colocará em prática o aplicativo Lava Placas, que segundo Geovana Conti, fundadora da Y, “é o coração de uma solução complexa e completa de geração de renda, em que pessoas ganham dinheiro enquanto aprendem mais sobre seus potenciais”. A plataforma funciona da seguinte forma: Os donos de lojas, bares e restaurantes realizam o cadastro do estabelecimento no site do Lava Placas, indicando o horário comercial e o pagamento de R$25,00 por metro linear. Após o pagamento, o dono do estabelecimento recebe a visita de um lavador de placas, mentorado e treinado pelos facilitadores da Youngers. O app começará a rodar na região central de Curitiba, com planos de expandir para outras regiões da cidade.

Saiba mais sobre as 30 organizações que participaram do Projeto Legado 2019, aqui.