gestão de projetos

Gestão de projetos para impacto social: como fazer

A gestão projetos é essencial para garantir a qualidade das atividades e o alcance dos objetivos desejados pela iniciativa

Muitas pessoas acreditam que para desenvolver um projeto na área de impacto social, basta ter propósito e força de vontade. Essas características são fundamentais, mas são apenas o ponto de partida. Para desenvolver um projeto, é preciso realizar pesquisas, elaborar um planejamento estratégico, estudar a necessidade de parcerias, entre outras tarefas.

Para organizar tudo isso e garantir que a iniciativa atinja o resultado desejado, é essencial entender a importância da área de gestão de projetos. Com ela, é possível escolher técnicas, ferramentas e metodologias específicas que vão ajudar a tirar a ideia do papel, ter controle do andamento de todas as etapas, reduzir riscos, garantir a qualidade dos resultados e gerar o impacto esperado.

O que caracteriza um projeto?

Antes de entender como funciona a gestão, é fundamental saber quais são as principais características de um projeto. Ele tem um objetivo claro, bem definido e viável; tem início e fim estipulados previamente, ou seja, é temporário; e tem limitação de recursos financeiros e humanos, que também são estipulados antes de seu início.

Para a especialista em Gestão de Projetos, Morgana Krieger, um projeto deve ser baseado na tríade “tempo-escopo-recursos”. “O papel da pessoa que faz a gestão é garantir que os três elementos tenham a mesma importância: coordenar os recursos e as partes envolvidas para atingir o resultado esperado dentro do tempo e orçamento previstos”, explica.

Projetos sociais

Mesmo seguindo a tríade, os projetos da área de impacto social, no entanto, se diferem dos demais. A principal diferença é que o alcance das atividades não representam somente lucro ou vantagens para a iniciativa, mas acima disso, buscam transformar a realidade de forma positiva. Morgana destaca outras duas diferenças: os recursos para os negócios e organizações sociais são mais escassos do que o investimento de grandes empresas e os problemas que a área social se dispõe a resolver são mais difíceis.

Muitas vezes, solucionar essas questões dependem não só de soluções de mercado, mas de trabalho coletivo com outros setores da sociedade, seja em conjunto do poder público, de outras organizações sociais ou mesmo do setor privado. “Quando falamos, por exemplo, de violência doméstica, questões raciais ou de pobreza, são questões que acontecem há muito tempo e que não têm resposta única. As organizações e negócios têm esse trabalho redobrado de saber dialogar e atuar coletivamente com outras entidades para buscar soluções”, conta Krieger.

Fases da gestão de projetos

Um projeto pode ser dividido em cinco fases, que vão desde o processo de criação e estruturação, até seu encerramento. Conheça as cinco etapas:

  • Início do projeto

Nessa etapa, são definidas as necessidades e os objetivos do projeto, visando o problema que a organização ou negócio pretende solucionar. Também são feitas previsões de recursos necessários para colocar o plano em prática.

  • Organização e preparação

Na etapa de planejamento, é definido o que será feito para o desenvolvimento do projeto, desde coletar informações, determinar custos, dividir tarefas, estipular o cronograma e os prazos de entrega. Nessa fase, é importante que toda a equipe esteja presente, para que sejam abordados diferentes pontos de vista. Além disso, nessa etapa deve-se pensar a longo prazo, mas definir pequenas missões a serem realizadas ao longo do processo para atingir o objetivo final.

  • Execução

Como o nome já diz, essa é a hora de pôr em prática o que foi planejado nas etapas anteriores. Nesse momento, é fundamental que todos os membros da equipe estejam alinhados e que compartilhem suas demandas e resultados. Assim, ficará mais fácil avaliar a evolução do projeto, e no futuro, mensurar seu impacto.

  • Monitoramento

O projeto já está em prática, mas as coisas não saíram totalmente como o previsto? Mesmo com o gerenciamento de projetos, imprevisto acontecem. Esse é o momento de rever o planejamento e adequar novamente as tarefas, cronograma, demandas da equipe e incorporar novas metas.

  • Encerramento

Após a finalização, é possível escolher entre encerrar ou desenvolver uma nova etapa do projeto. Se a equipe optar por continuar, é possível manter o mesmo objetivo, mas com alterações, como a abrangência territorial, número de pessoas impactadas, mudança de conteúdo, etc. Além disso, são feitas também as avaliações, tanto das pessoas que foram beneficiadas quanto da própria iniciativa. É neste momento de feedback em que é possível analisar os pontos fracos, quais foram os aspectos mais imprevisíveis e o que poderia ser melhorado na nova fase.

Dicas 

Morgana dá as dicas para quem está fazendo gerenciamento de projetos focado em impacto social: conhecer e escolher muito bem as ferramentas que serão usadas para o andamento do projeto e reservar uma hora da semana para monitorar o andamento das atividades e fazer uma análise semanal para diminuir chances de imprevistos e aumentar a percepção de evolução do projeto.

Morgana diz que outro ponto importante é entender que o trabalho não é apenas do gestor, mas de todas as partes envolvidas no processo. “É essencial que o gestor compartilhe com as pessoas sobre as expectativas para o futuro, sobre o que está sendo entregue e o que ainda precisa ser transformado. Assim, todos podem colaborar e garantir um bom resultado”, finaliza.

Tem um empreendimento social e quer saber mais sobre gestão de projetos? Conheça nosso MBA de Gestão de Negócios de Impacto Social!

 

Giovanna Fantinato
Imagem: Freepik

Assine nossa news e receba conteúdos exclusivos de impacto social!

Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp