Pertencente à rede Quarentena Solidária, Instituto Legado está à frente do GT Inova contra Coronavírus 

O setor de inovação, por meio de soluções disruptivas e inteligentes, tem papel fundamental no combate aos efeitos da crise gerada pela Covid-19, sobretudo para mitigar os danos sociais. Por isso, o Instituto Legado está à frente do Inova Contra Coronavírus, Grupo de Trabalho (GT) de Inovação Social da Quarentena Solidária, uma rede criada para mobilizar recursos de todo o tipo para contribuir no esforço contra a epidemia.

O GT de inovação tem a proposta de fazer o intermédio entre os projetos, as empresas e o poder público, facilitando que as iniciativas sejam colocadas em prática o mais rápido possível. A coordenadora de projetos do Instituto Legado, Maria Guevara, é umas das participantes do GT e explica que, além de promover o impacto positivo por meio da tecnologia, o projeto está sendo um grande aprendizado. “Ter contato com iniciativas que estão dispostas a transformar a realidade tem trazido diversas experiências e insights para nós”, afirma. Maria também conta que a ideia é estreitar a parceria com as iniciativas que fazem parte do INOVA após a pandemia. 

O que está sendo feito

Já estão participando 15 iniciativas, sendo 11 da área da saúde. Os empreendimentos Dar a Mão, Transistor Hacker Space e Respira Fundo estão apostando na tecnologia de impressão 3D para trabalhar na confecção de máscaras, protetores faciais, válvula Venturi e respiradores. Pensando naqueles que não podem ficar em casa e utilizam o transporte público, a iniciativa BemBom separou equipes para distribuição de máscaras e luvas em terminais e pontos estratégicos de circulação de ônibus em Curitiba.

Entre as iniciativas voltadas especialmente para o grupo de risco, o aplicativo Broder serve como uma ponte entre jovens voluntários e pessoas que estão no grupo considerado de risco – idosos e portadores de doenças crônicas. O voluntário oferece apoio para resolver problemas práticos, como ensinar o uso de aplicativos para delivery, fazer compras no mercado ou até para bate-papo por videochamada.

No ramo de alimentação, o negócio social Cooltivando, tem o objetivo de aproximar agricultores familiares com os consumidores por meio de uma plataforma digital, evitando aglomerações em feiras. Para saber mais sobre todas as iniciativas que participam do INOVA, acesse a página do GT.

Voluntários da Associação Dar a Mão distribuem protetores faciais feitos a partir de tecnologia 3D para hospitais no interior do Paraná (foto: divulgação)

Quarentena Solidária

Além de reunir iniciativas que visam a minimização do impacto da Covid-19, a Rede Quarentena Solidária realiza discussões e trocas online por meio das redes sociais e também de uma plataforma colaborativa onde os participantes podem publicar conteúdos informativos, educativos e analíticos sobre o atual cenário de pandemia.

Além da frente voltada à inovação social, a Rede Quarentena Solidária é formada por outros 13 GTs, com foco em alimentação, voluntariado, tecnologia, setor jurídico, negócios locais, universidade, enfermagem, psicologia, recursos financeiros, entre outros. Os interessados em contribuir com algum dos GTs podem entrar em contato através do Facebook ou pelo Instagram (@quarentenasolidariabr). 

Doações 

No site e nas redes sociais do projeto é possível encontrar uma lista de produtos que podem ser doados. Os itens podem ser entregues por meio do Disque Solidariedade da Prefeitura de Curitiba , com agendamento pelo telefone 156, pelo site www.central156.org.br ou pelo aplicativo Curitiba 156, disponível para Android e iOS.

Ações internas

Seguindo as recomendações básicas da Organização Mundial da Saúde (OMS) para diminuir a proliferação do novo Coronavírus, o Instituto Legado adotou medidas de prevenção como home office, suspensão de todas as atividades presenciais e adaptação do Projeto Legado para o formato online. Para superar a crise, é preciso agir. Se puder, fique em casa.

Quer saber mais sobre inovação social? Confira nosso post com dicas sobre o tema.