Início/Rede/Instituições da Rede Legado são eleitas como umas das 100 melhores ONGs do país

Instituições da Rede Legado são eleitas como umas das 100 melhores ONGs do país

Prêmio foi concedido pela Revista Época, em parceria com o Instituto Doar, e reconhece boas práticas de gestão e transparência no terceiro setor

A noite desta segunda-feira, dia 7, foi de festa para a rede de iniciativas apoiadas pelo Instituto Legado. Quatro organizações que já passaram ou estão em nosso programa de capacitação receberam o prêmio de melhores ONGs do país, oferecido Revista Época em parceria com o Instituto Doar: Pequeno Cotolengo, Centro de Assistência e Desenvolvimento Integral (Cadi), Ação Social para Igualdade das Diferenças (Asid Brasil) e TETO.

Essa é a primeira edição do prêmio, que reconhece boas práticas de gestão e transparência no Terceiro Setor e incentiva a cultura de doação no Brasil. Segundo o Instituto Doar, mais de 1500 instituições se inscreveram e foram avaliadas com base nos critérios de causa e estratégia, representação e responsabilidade, gestão e planejamento, estratégia de financiamento e comunicação e prestação de contas. Os nomes das 100 selecionadas foram divulgados em evento na cidade de São Paulo e estarão organizados em um guia para levar informação a pessoas que querem ser doadoras.

Participante do Projeto Legado 2017, no grupo de expansão de impacto, o Centro de Assistência e Desenvolvimento Integral (CADI) foi uma das organizações reconhecidas com o prêmio. O CADI é uma coalizão de doze organizações cristãs de referência em ações transformadoras, atuando na proteção à infância, à adolescência e à família.

“É um coroamento para os 24 de atuação em comunidades de alta vulnerabilidades social. Em um contexto como o nosso, em que é muito difícil empreender socialmente, os recursos para ações de divulgação das ações de melhoria na gestão, transparência e fortalecimento institucional são praticamente inexistentes. Por isso, um prêmio como esse contribui muito ao trazer mídia espontânea e credibilidade, que é o maior patrimônio de uma ONG”, afirma o presidente Mauricio José Silva Cunha. De acordo com ele, o Projeto Legado tem sido essencial para a melhoria na gestão do CADI. “O Legado tem agregado muito valor à nossa causa, ao nos oportunizar o acesso a recursos e conhecimentos que não teríamos de outra forma”.

Legado de impacto

cotolengoCapacitado em 2014, o Pequeno Cotolengo não só entrou para a lista de 100 melhores ONGs do Brasil, como também ganhou na categoria Melhor ONG da Região Sul. “Este prêmio mostra que é possível fazer muito com o bom uso do dinheiro que nos é doado. É uma excelente prestação de contas a todos nossos benfeitores. Estamos muito felizes”, relata o diretor presidente, padre Renaldo Amauri Lopes. Referência em acolhimento, saúde, educação e qualidade de vida para pessoas com deficiências múltiplas, abandonadas pelas famílias ou em situação de risco, o Pequeno Cotolengo atua em Curitiba desde 1965.

Participante da primeira turma do Projeto Legado, em 2013, a Asid Brasil também foi reconhecida por seu trabalho oferecendo uma metodologia de desenvolvimento de gestão para instituições filantrópicas com foco no desenvolvimento da pessoa com deficiência. “Agradecemos às centenas de instituições para pessoas com deficiência, seus diretores, professores e alunos, por acreditarem no nosso trabalho e nos inspirarem com seus exemplos. E também às empresas investidoras e parceiras, bem como aos seus voluntários que estão ao nosso lado colocando a mão na massa para dar forma ao objetivo da ASID”, disse o diretor de marketing e inovação, Luiz Hamilton Ribas.

Presente em 19 países da América Latina e Caribe, a TETO também foi uma das premiadas. A sede Paraná funciona no Legado Socialworking e recebeu capacitação do Projeto Legado em 2015. Com uma equipe composta por cerca de 50 voluntários no Paraná, a instituição atua pela defesa dos direitos das pessoas que vivem nas favelas mais precárias e vulneráveis em centros urbanos, engajando os moradores e as moradoras das comunidades e mobilizando jovens voluntários e voluntárias, para trabalharem juntos na construção de uma sociedade integrada.

9/08/2017|Rede|