Início/eventos, Socialworking/Expedição feminina à Antártida vira exposição fotográfica

Expedição feminina à Antártida vira exposição fotográfica

Viagem de Natalie Unterstell, única brasileira a participar de expedição só de mulheres ao continente gelado, resultou na exposição “Sobre Mulheres e Icebergs”, que será lançada em Curitiba nesta quinta-feira (21), durante Festival Legado Delas e fica aberta ao público até o dia 27/03

Depois de enfrentar ondas de 12 metros, nadar em águas congelantes, navegar por mais de 20 dias em um navio só de mulheres e fazer mais de 2 mil registros fotográficos, a brasileira Natalie Unterstell vai lançar uma exposição para compartilhar cenas de sua aventura e provocar maior atenção com dois temas que estão em sua agenda: liderança feminina e mudança do clima. O lançamento da exposição “Sobre Mulheres e Icebergs” será nesta quinta-feira (21), no Legado SocialWorking, em Curitiba, e tem entrada franca. A atração faz parte do Festival Legado Delas, iniciativa do Instituto Legado.

Aproveitando o Mês da Mulher e o Dia Internacional das Mudanças Climáticas, lembrado no dia 16 de março, Natalie Unterstell reuniu duas de suas paixões que vêm caminhando juntas desde sua preparação para a experiência na Antártida. A luta por igualdade de gênero e justiça climática fizeram parte da pauta de 80 mulheres de 37 países do mundo com quem Unterstell dividiu o navio por três semanas. Os cliques feitos por elas registram a beleza da natureza e o alerta da terra do gelo: a mãe natureza precisa de suas filhas. “Eu fui a primeira brasileira a participar de uma experiência como essa, mas não posso nem quero ser a última. Precisamos de mais mulheres ocupando espaços de liderança e agindo para impedir que a mudança do clima continue avançando e somos a geração que tem condições de fazer isso”, afirma. “Temos uma obrigação moral de agir, agora”.

Experiência sensorial
Além de apreciar 30 fotos, os visitantes terão uma experiência sensorial enquanto observam as fotografias, ouvindo sons de animais marinhos típicos da Antártida. Gravações de pinguins, golfinhos e baleias foram selecionadas para compor o ambiente da galeria. Duas expedicionárias de outras nacionalidades também contribuíram com registros pessoais: Anne Charmantier, da França, e Beth Strain, da Austrália.

Christiane Hoffrichter, fotógrafa e co-fundadora da Retina Fotografia e Justiça Social, colaborou com a curadora do projeto e comenta que as imagens selecionadas têm o poder de transportar observadores. “Eu viajei junto com ela pelas fotos. As fotografias com sua vastidão e os seus detalhes, nos revelam a beleza e a fragilidade de vidas. Uma viagem necessária e urgente pelos cinco sentidos”, conclui.

Impacto itinerante
O lançamento em Curitiba deve ser apenas o primeiro capítulo de uma maratona que a exposição deve percorrer pelo Brasil. O objetivo da idealizadora é levar a discussão sobre mulheres, ciência e mudança do clima para outras regiões do Paraná e do país.

Sobre a viagem
A mestre em políticas públicas e defensora do meio ambiente Natalie Unterstell é a primeira e única brasileira a participar de uma expedição para a Antártida exclusiva para elas. Ela foi selecionada pela Homeward Bound – A mãe natureza precisa das suas filhas, maior expedição feminina do mundo, que reuniu 80 mulheres de todo mundo, todas envolvidas com ciência e natureza, para viver uma grande aventura na terra do gelo. A intenção do programa australiano é recrutar mulheres influentes de todo mundo com o objetivo de fomentar a colaboração global com lideranças femininas. A meta é envolver 1000 mulheres, ao longo de 10 anos. Antártida é o foco da viagem por representar um ambiente que reflete questões ambientais de escala global. “A Antártida serve como pano de fundo para entendermos o estado real do planeta e nós temos o compromisso de dar visibilidade a alguns dos problemas mais intratáveis da humanidade: mudança do clima e desigualdade de gênero”, resume. A expedição para Antártida aconteceu entre 31 de dezembro de 2018 e 21 de janeiro de 2019.

Sobre Natalie Unterstell
Administradora graduada na Fundação Getúlio Vargas, mestre em políticas públicas pela Universidade de Harvard, empreendedora e ativista. Dedica-se a desenhar, implementar e avaliar as políticas de desenvolvimento sustentável com atenção ao longo prazo. É uma das principais referências no assunto de mudanças climáticas no Brasil e na América Latina. É uma das embaixadoras globais programa Homeward Bound, que promove a participação das mulheres na ciência e na política. Foi a primeira brasileira fellow do Center for Public Leadership da Universidade de Harvard e também uma das cinco primeiras líderes ambientais selecionadas como Louis M. Bacon Environmental Leadership Fellowship.

Serviço: Lançamento Exposição fotográfica Sobre Mulheres e Icebergs
21/03, quinta-feira, às 19h30
Legado SocialWorking: Rua São Pedro, 696 – Cabral
Incrições gratuitas: https://bit.ly/2FawBiF

19/03/2019|eventos, Socialworking|