Texto: Giovanna Fantinato
Imagens: Divulgação EcoAngels

O negócio social oferece educação sustentável focado no público infanto-juvenil; em um ano já impactou mais de 300 crianças e adolescentes

Setembro reúne diversas datas relacionadas ao meio ambiente, como o Dia da Amazônia (05), Dia Internacional de Preservação da Camada de Ozônio (16), Dia da Árvore (21) e o Dia Mundial sem Carro (22).  As datas servem como lembrete em relação aos cuidados com a sustentabilidade. Segundo uma pesquisa realizada pelo Ibope a pedido do WWF Brasil, nove entre dez brasileiros acreditam que a natureza não está sendo protegida de forma adequada. Em 2014, a porcentagem era de 82%, já em 2018 a percepção subiu para 91%.

Mudar esse cenário é possível começando com hábitos simples, como separar o lixo, diminuir o consumo do plástico e evitar o desperdício de comida. Para iniciar a mudança de hábitos na sociedade, é preciso começar ainda na infância. Com o intuito de formar cidadãos com atitudes mais conscientes e que contribuam com a preservação da natureza a EcoAngels foi criada.

Unindo conscientização e diversão

A EcoAngels é um negócio social que oferece educação ambiental para crianças e adolescentes de 4 a 14 anos. As aulas são dividas em cinco módulos: separação do lixo, carinho aos animais de estimação, utilização consciente da água, preservação da vida selvagem e a importância da vida das abelhas. Os métodos utilizados incluem aulas teórico-práticas sobre os conceitos importantes do tema abordado, por meio de vídeos, contação de histórias e dinâmicas. A segunda parte da aula inclui oficinas práticas e lúdicas que ajudam a fixar o conhecimento no aluno.

O negócio surgiu de uma inquietude de Nicole Cherobim, fundadora da EcoAngels, que desde criança sentia vontade de contribuir com a preservação da natureza. Na faculdade cursou medicina veterinária, e no trabalho atuou em diversas atividades sustentáveis. Ainda assim, a vontade de compartilhar seu conhecimento com mais pessoas permaneceu. Quando tornou-se mãe, percebeu o talento com o público infantil. Dalí, surgiu a ideia de unir os conhecimentos sustentáveis à vontade de estar com as crianças.

Nicole explica a importância de discutir educação ambiental na infância já que as crianças ainda estão em processo de formação da personalidade e constroem seu discurso de acordo com o que recebem de informação e o que vêem de exemplo. “Acreditamos que a infância é o momento certo para ensinarmos sobre caridade, respeito aos animais e à natureza e sobre como a questão ambiental é importante”, afirma. “Se desde cedo nós regarmos as crianças com conhecimentos sustentáveis e permitir que elas tenham contato com a natureza, com certeza o futuro do planeta será diferente”, conclui.

Impacto positivo

Com pouco mais de um ano, o negócio social já impactou diretamente cerca de 314 crianças. Indiretamente, o número aumenta, já que uma das missões dos ecoangels, como são chamados, é compartilhar o conhecimento com os irmãos, primos, amigos e família e colocar em prática os conceitos aprendidos nas aulas. Os pais também entram na onda. “Vários responsáveis já contaram que as crianças estão trabalhando como ‘vigias’ da família”, comenta Nicole. “Escutei de uma senhora que a neta eco angel a impediu de jogar lixo e bitucas de cigarro no chão, porque fazia mal à natureza”.

Além disso, a organização oferece capacitação aos professores que participam das dinâmicas, para que trabalhem com os assuntos na sala de aula. Para conhecer mais sobre a EcoAngels, acesse a página do Facebook: https://www.facebook.com/ecoangelsedu/.