Com o lema “Mulheres que amam mulheres”, a organização reúne lésbicas e bissexuais é uma das selecionadas no Projeto Legado 2019

Conhecido como o Dia Internacional do Orgulho LGBT, o dia 28 de junho é marcado por atos no mundo inteiro para se orgulhar e trazer questões do movimento para reflexão e debate. Um destes pontos é dar visibilidade à mulher dentro da luta LGBT. Esse é o objetivo do Coletivo Cássia, grupo participante do Projeto Legado 2019. Formado por mulheres lésbicas e bissexuais, o coletivo é o braço feminino do Grupo Dignidade, primeira ONG no Paraná dedicada à defesa e promoção dos direitos LGBT.

Segundo pesquisa realizada pela organização Grupo Gay da Bahia, reconhecida por levantar dados sobre a população LGBT no Brasil, a cada 20 horas, uma pessoa LGBT é assassinada ou comete suicídio no país, vítima de LGBTfobia. Só em 2018, foram 420 mortes. Além da violência física, os dados obtidos por meio do Disque 100, iniciativa do Ministério dos Direitos Humanos para atender denúncias de violações de direitos humanos, identificou que a maior parte das denúncias vindas da comunidade LGBT diz respeito à violência psicológica. Essa categoria inclui atos de ameaça, humilhação e bullying.

Coletivo Cássia 

O Coletivo foi criado em agosto de 2017, no mês da visibilidade lésbica. Após perceberem a grande demanda das mulheres que participavam do Grupo Dignidade em dar mais visibilidades às pautas voltadas às lésbicas e bissexuais, nasceu a ideia de criar algo específico para elas. Hoje, o coletivo atua com o “Dedos de Conversa”, rodas de conversa mensais voltadas à vivência das mulheres bissexuais e lésbicas, com pautas como saúde, maternidade, preconceito dentro do movimento, entre outros.

Outra iniciativa desenvolvida dentro do coletivo é a “Ideias e ideais de mulheres transformadoras”, em que são discutidas pautas de empreendedorismo, como protagonismo feminino em grandes empresas, mulheres que tem seu próprio negócio e empoderamento.

Participando do Projeto Legado 2019, Ananda Puchta, presidente do Coletivo Cássia, explica que a capacitação está sendo crucial para o processo de formalização do coletivo. “O nosso maior desafio era transformar o Coletivo em negócio. Hoje, com o Projeto Legado, estamos estruturando nossa marca dentro do empreendedorismo”, comenta.

Para saber mais sobre o Coletivo Cássia, acesse o site ou a página do Facebook.