No dia Mundial da Educação, conheça iniciativas que ajudam a melhorar os índices educacionais e a formar pessoas comprometidas com uma sociedade livre de injustiças e preconceitos 

Você sabia que 28 de abril  é o Dia Mundial da Educação? Instituída no ano 2000, a data é lembrada anualmente como uma reflexão para pais, alunos, educadores e formadores de políticas públicas sobre como gerar uma educação transformadora e escolas que ofereçam ambiente propício para a formação de sujeitos críticos, responsáveis e comprometidos com uma sociedade livre de preconceitos e injustiças. 

História

No dia 28 de abril de 2000, foi realizado o Fórum Mundial de Educação de Dakar, no Senegal. O evento reuniu 180 países com um objetivo: firmar um compromisso mundial pela educação básica. Dos 180 países participantes, 164 assinaram um documento – hoje conhecido como “Marco de ação de Dakar, educação para todos: cumprindo nossos compromissos coletivos – com uma agenda que contava com seis metas que deveriam ser atingidas até 2015. As metas contemplam temas como a expansão da educação básica para crianças em vulnerabilidade, melhora em 50% os níveis de alfabetização de adultos e a eliminação de disparidades de gênero no âmbito escolar. Ainda que as metas não tenham sido cumpridas, a data ficou conhecida como o Dia Internacional da Educação.

Dados alarmantes  

No Brasil, cerca de 7% das pessoas com mais de 15 anos não sabem ler nem escrever, o equivalente a 11,5 milhões de pessoas. A distorção idade-série ainda é grande para o Ensino Médio. Em 2017, apenas 68,4% dos alunos tinham entre 15 e 17 anos, faixa etária prevista para os estudantes que cursam o ensino médio, última etapa da educação básica. Foram contabilizados cerca de 2 milhões de estudantes atrasados. Os dados são da pesquisa Educação 2017, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad Contínua). A pesquisa também evidenciou que mais de 25 milhões de jovens entre 15 a 29 anos não concluíram a graduação e não frequentam a escola, técnico ou pré-vestibulares. O grupo é composto em grande parte por pessoas da cor preta ou parda. 

dia mundial da educaçãoEmpreendedorismo social como transformação da educação

Diminuir os índices de analfabetismo, combater a evasão escolar de jovens e adultos, promover a universalização da educação e combater a discriminação são alguns dos desafios a serem enfrentados pela sociedade. Pensando em minimizar os números alarmantes da educação brasileira, empreendedores sociais de todo o país estão se movimentando para oferecer soluções criativas e transformadoras. Confira cinco empreendimentos sociais que estão gerando impacto social positivo na educação:

  • Bom Aluno

Promover a equidade de oportunidades. Esse é o objetivo do Programa Bom Aluno, que atua no incentivo e desenvolvimento de alunos em vulnerabilidade socioeconômica que apresentam bom rendimento escolar e comprometimento. A iniciativa oferece capacitações educacionais e profissionais para que os estudantes concluam o estudo básico e de graduação e garantam boas colocações no mercado de trabalho. Além disso, também são ensinadas e aprimoradas as habilidades socioemocionais, de cidadania e empatia, criando agentes que promovam transformação social. 

Para participar do projeto, o estudante deve estar no sexto ano do fundamental, receber uma indicação da escola pública em que estuda e fazer a inscrição no site. No processo seletivo, a renda familiar e o histórico escolar são avaliados. Em seus 25 anos de existência e com franquias em seis estados do Brasil, o programa Bom Aluno já impactou mais de mil alunos. Também fez parte da turma 2015 do Projeto Legado. Conheça mais sobre a iniciativa no site.

dia mundial da educação

  • Geekie

Foi com o intuito de conectar as escolas com as necessidades dos estudantes do século 21, os chamados nativos digitais, que o negócio social, Geek, foi criado. O Geekie é uma plataforma de educação online que ajuda estudantes na preparação para vestibular por meio do ensino individualizado, com base no conceito adaptativo, ou seja, aquele em que a grade curricular que deve se ajustar às necessidades do aluno, e não o contrário. 

Ao lado de professores, gestores e estudantes, foram criadas três plataformas para uso nas salas de aula. Com o Geekie Teste as escolas puderam aplicar avaliações que geram informações sobre as habilidades e o desenvolvimento cognitivo de cada aluno, possibilitando o melhor direcionamento de atividades pedagógicas; o Geekie Games é um aplicativo de preparação para o Enem e vestibulares; e o Geekie Lab é uma plataforma de apoio aos professores.

Até agora, mais de 12 milhões de estudantes alcançados e mais de 5 mil escolas já usaram as plataformas online. Saiba mais.

  • Projetos Jovens Embaixadores Sociais

Em parceria com o Instituto Boticário e a Quíron Educação, o Instituto Legado desenvolveu o programa Jovens Embaixadores Sociais, com o objetivo de apresentar conceitos e a prática de um negócio social. Além disso, despertar o olhar de alunos de escolas públicas para a consciência de que é possível solucionar problemas cotidianos. A primeira edição foi realizada em novembro de 2019 com 18 alunos do Colégio Estadual Lindaura Ribeiro Lucas, na Região Metropolitana de Curitiba. No final do projeto, com duração de cinco semanas, os estudantes apresentaram suas ideias de negócios sociais para um banca de profissionais da área. 

Essa foi a primeira vez que o Instituto Legado desenvolveu uma atividade voltada para adolescentes. Saiba mais sobre os projetos desenvolvidos aqui.

  • Projeto Baobá 

Selecionado para o Projeto Legado 2020, o Projeto Baobá busca fortalecer a população negra e promover a equidade racial por meio de oficinas educativo-pedagógicas voltadas a estudantes do Ensino Médio de escolas públicas de Curitiba e Região Metropolitana. Conheças mais sobre o projeto.

  • Quíron Educação 

A Quíron é um negócio social de ensino complementar para crianças, jovens e adultos, com foco na educação participativa, que promove o desenvolvimento das potencialidades específicas de cada aluno. Em parcerias com as escolas, oferece formação para jovens, com formações práticas implementadas no contraturno; consultoria de ensino para equipe pedagógica e coordenadores; formação de educadores, ensinando novas ferramentas e metodologias de ensino; e cursos de extensão focados em temas relevantes para a inserção no mercado de trabalho. 

No conteúdo trabalhado estão temas como empreendedorismo, design thinking, criatividade, finanças, pitch e oratória, cidadania, sustentabilidade e modelagem de negócios. Além de soluções para escolas e universidades, a Quíron oferece soluções educacionais para empresas, governos ONGs. O negócio social já impactou 3315 estudantes em 22 cidades do Brasil. Participou do Projeto Legado em 2015. Saiba mais aqui.

Empreendedorismo Social na educação superior

Muito além de promover a expansão de negócios e organizações de impacto positivo por meio de programas de aceleração, o Instituto Legado de Empreendedorismo Social acredita que a educação inovadora é um dos grandes agentes transformadores da sociedade. Com o propósito de levar o empreendedorismo social para o âmbito educacional e acadêmico, lançamos o MBA Gestão de Negócios de Impacto Social, em parceria com a Universidade Positivo. O curso segue o sistema modular e proporciona acesso aos conceitos e ferramentas necessários para formar negócios que, muito além de gerarem lucro, serão capazes de transformar a realidade e gerar impacto socioambiental positivo. Acesse o link e conheça mais do nosso curso de Gestão de Negócios de Impacto Social!