Líderes de negócios de impacto social têm até 3 de maio para se inscreverem no Prêmio Empreendedor Social 2020. O maior concurso de empreendedorismo social e ambiental da América Latina, iniciativa da Folha de S.Paulo em parceria com a Fundação Schwab, chega à 16ª edição com benefícios, para finalistas e vencedores, que totalizam os R$ 350 mil. São três categorias – Empreendedor Social, Empreendedor Social de Futuro e Troféu Grão, sendo essa última, destinada exclusivamente às ONGs que atuam com causas e movimentos de grande relevância para o país.

As inscrições podem ser feitas mediante o preenchimento do formulário pelo site e envio de um vídeo de até três minutos com o resumo da própria trajetória e do impacto que gera. Em 2019, o concurso premiou líderes de negócios de impacto focados em reciclagem, inclusão de minorias e igualdade racial. O grande vencedor foi Guilherme Brammer Jr., fundador da Boomera, empresa que recicla resíduos difíceis em um modelo inovador de economia circular. Desde 2011, o negócio já reciclou mais de 60 mil toneladas de plásticos e envolveu 8 mil catadores de cooperativas conectadas à empresa. A conquista da principal categoria da premiação rendeu ao empreendedor o ingresso na Rede Schwab de Empreendedorismo Social, que garante a participação em encontros do Fórum Econômico Mundial e cursos na Universidade de Harvard.

“Os inovadores sociais são agentes pioneiros de mudança que reinventam a maneira como nossas instituições operam e são essenciais para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável até 2030”, afirma o presidente da Fundação Schwab, François Bonnici. Os vencedores da premiação também ganham capacitações, assessoria jurídica e de imprensa, mentorias, cursos oferecidos pela Fundação Dom Cabral, British Council, Quintessa, Artemisia, entre outros. Os finalistas passam a integrar, também, a Rede Folha de Empreendedores Socioambientais, que conta com 112 integrantes e 99 organizações.

Seleção e resultado final

Os candidatos inscritos que passarem por um primeiro filtro da comissão organizadora serão chamados a responder um segundo questionário, com mais informações sobre a sua jornada e a de sua organização. Em um segundo filtro, os melhores avaliados devem enviar documentos que comprovem regularidade e demonstrem o impacto da iniciativa. Baseado nessa documentação e do novo questionário, são definidos os semifinalistas, que receberão o Comitê Avaliador, formado por jornalistas da Folha e consultores independentes, para a avaliação em campo. Os grandes vencedores serão conhecidos na cerimônia de premiação, que ocorre em novembro, no Teatro Porto Seguro, em São Paulo.

Saiba mais no site da Folha de S. Paulo.