Início/Rede/Avaliação de impacto social, por onde começar?

Avaliação de impacto social, por onde começar?

A crescente agenda de monitoramento e avaliação de impacto de projetos sociais tem desafiado cada vez mais financiadores, empreendedores sociais e suas equipes a aplicarem melhores práticas na gestão suas iniciativas. Esse movimento está relacionado à dificuldade destes financiadores e gestores de projetos em basear suas decisões em evidências. A maioria das metodologias disponíveis hoje no mercado para coleta e avaliação de indicadores de impacto são complexas, demandam alto investimento de tempo e recursos financeiros, tornando essas práticas muito distante da realidade dos projetos.

No Brasil, Investidores Sociais Privados (ISP) investem em torno de R$3 Bi por ano em suas causas, segundo o GIFE – Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (Censo de 2014). São eles empresas, institutos e fundações empresariais e familiares que alocam recursos em causas e projetos sociais, sem a busca de retorno financeiro. Para a surpresa de muitos, apenas 40% deste recurso é referente às contrapartidas fiscais – as famosas leis de incentivo à cultura e ao esporte, que rebatem do imposto de renda destas empresas.

Muitas vezes, ao financiar um projeto social, os resultados se apresentam nebulosos e mal documentados. Isso fragiliza a credibilidade dos gestores de projetos, que apesar de fazerem um bom trabalho, têm dificuldade em relatar seus avanços. Um monitoramento bem feito, além disso, permite manter o foco de seus objetivos e utilizar os investimentos de maneira estratégica. Inovação pode tornar mais fácil o acompanhamento de perto, e de maneira dinâmica, do resultado de impacto de cada um de seus projetos.

Mas o importante é começar. O que devemos considerar quando vamos começar uma avaliação de impacto?

Utilize a tecnologia a seu favor, inove!

O gestor do projeto social é a melhor pessoa para definir a estratégia de avaliação junto a seu ISP, beneficiados, voluntários. Tecnologias te dão o benefício de digitalizar seu projeto e ter informações disponibilizadas sempre em tempo real e para um grande número de pessoas. Pesquise novas ferramentas tecnológicas que te ajudem a colocar toda esta complexidade em prática. Não tenha medo de experimentar o novo! Este é um mercado que está em rápida evolução e tem inovação surgindo.

Documente o que importa

Reunir as informações básicas de seu projeto social é importante, porém é preciso ir muito além disso. É importante que o gestor mantenha um registro completo de suas atividades, depoimentos que recebeu, fotos destaque e seus indicadores de resultado e impacto em um só lugar.

Pense na diferença entre indicadores de resultado e impacto

Quantificar quantas bolas de futebol foram arrecadadas e o quanto isso motivou as crianças a praticarem o esporte são coisas diferentes. No primeiro, estamos falando em indicadores de resultado – valores que permitem avaliar o bom desempenho da ação a nível operacional. O segundo questionamento é mais aprofundado: trata do impacto do projeto. Ambos são importantes. A prática diária da coleta e armazenamento desses dados pode parecer extensa, mas quando bem planejada é essencial para auxiliar em ajustes na estratégia do projeto e na tomada de melhores decisões. Aproveite para amarrar todos esses dados estatísticos com depoimentos de pessoas envolvidas e beneficiadas, fotos e relatos que concluam os aprendizados do projeto. A união entre dados quantitativos e qualitativos é o que torna a história viva e bem embasada.

Publique relatórios periódicos de seus projetos

Não deixe a compilação de seus indicadores para última hora. Procrastinação de monitoramento e avaliação de impacto não combinam. Se perdemos um dado importante, ou uma coleta em campo, será muito difícil conseguir refazer essa pesquisa depois. Nos seus relatórios mensais ou finais, os indicadores coletados durante a execução das atividades, precisam estar compilados em um design elegante e organizado. A publicação deve ter uma leitura prazerosa, para que todos os envolvidos no projeto queiram saber mais sobre seus progressos e tenham vontade de contribuir de alguma forma.

Sem transparência, não há confiança

Sua missão é levar clareza e objetividade à todas as ações dos projetos sociais. Mas lembre-se que tudo que você documenta vira uma prova e poderá ser usada contra ou a seu favor. Organize documentos adicionais que permitam ao gestor fortalecer maior confiança com seu investidor social, o que reforça a legitimidade do conteúdo ali presente. Quanto mais informações estiverem disponíveis, mais confortável o investidor se sentirá em avaliar o destino de seus investimentos.

*Artigo escrito por Paloma Lecheta, empreendedora social graduada pelo Founder Institute, fundadora do PeaceLabs.co, startup que ajuda investidores sociais privados a tomar melhores decisões de qual projeto investir, quando e quanto, e capacitada pelo Instituto Legado.

11/07/2017|Rede|