Por Stephane Sena

Estudantes do Colégio Estadual Lindaura Ribeiro Lucas participaram do programa Jovens Empreendedores Sociais, oferecido pelos institutos Legado e Boticário, em parceria com a Quíron Educação

Na última terça-feira, dia 26 de novembro, Instituto Legado, Instituto Boticário e Quíron Educação fizeram o encerramento da primeira edição do programa Jovens Empreendedores Sociais, iniciativa que nasceu com o propósito de despertar em alunos do Colégio Estadual Lindaura Ribeiro Lucas, em São José dos Pinhais (PR) a consciência de que é possível ajudar a transformar o mundo começando por soluções para problemas cotidianos. O programa foi feito em parceria entre as três instituições e beneficiou 18 jovens. No final de uma imersão de cinco semanas e dez encontros, os participantes apresentaram suas ideias de empreendedorismo social para uma banca de profissionais do setor.

Pelo Instituto Legado, o programa Jovens Empreendedores Sociais foi coordenado por Paula Minetto. Ela explica que a proposta era despertar talentos para o setor social. “Eles tiveram atividades práticas e aprenderam todos os pilares da criação de um projeto. Nosso papel foi o de facilitar esse processo e oferecer ferramentas úteis”. Anderson Therézio é diretor do Colégio há cinco anos e acompanhou o processo de aprendizagem dos alunos. “Foi super válido, despertou nos alunos interesse pela questão social. Fez com que eles trabalhassem analisando problemas sociais que hoje estão no cotidiano deles e a partir desses problemas propor soluções. Eles se motivaram, se engajaram na ideia e conseguiram produzir um conteúdo bem bacana”, disse o diretor.

Desde 2013 atuando no setor de empreendedorismo social, essa foi a primeira vez que o Instituto Legado desenvolveu uma ação voltada exclusivamente para jovens e adolescentes.  “Estamos muito felizes em ver jovens que começam a ser despertados para o Movimento Transformador Massivo, que soma pessoas que querem transformar a sociedade e chegar a um mundo mais justo. Hoje é um dia de festa, estamos celebrando o resultado desse projeto lindo e o sonho antigo de fazer essa conexão de impacto com o Grupo Boticário”, afirmou a gestora-executiva do Instituto Legado, Rose Suzuki, que também agradeceu parceiros e apoiadores: ELO Apoio Social e Ambiental, 5C, Panic Lobster, Playing for Change, Centro Universitário OPET e Quíron Educação, que formatou o conteúdo do Legado para a linguagem dos jovens e facilitou os encontros.

Transformação social

Os projetos desenvolvidos pelos alunos focaram em soluções de problemas ambientais e inclusão social: Conheça cada um deles:

TRANS EVOLUÇÃO: Tem a missão de acolher pessoas transexuais que estão atuando na prostituição como resultado do preconceito e da exclusão social. A inspiração veio de casa. “Eu tenho uma prima que é trans: era Mateus e hoje é Amanda. Apesar do meu esforço para ajudá-la, Amanda acabou fazendo parte das estatísticas e hoje está na prostituição”, contou a estudante Letícia Aparecida. Com a TRANS Evolução, a jovem quer oferecer acolhimento psicológico, palestras e cursos profissionalizantes para inserção das pessoas trans no mercado de trabalho.

O SOM DO TRABALHO: Projeto para inserir deficientes auditivos no mercado de trabalho, oferecendo cursos, capacitações e conexões com empresas. A equipe iniciou a apresentação usando a Linguagem Brasileira de Sinais (LIBRAS) e apresentou dados importantes: 9,8 milhões de brasileiros possuem alguma deficiência auditiva.

HANDCUFEED BIRD: “Eu sempre fui empreendedora e não sabia”. As palavras da jovem Gabriela Miranda abriram a apresentação do Handcufeed Bird, um aplicativo para ajudar os jovens a administrarem o tempo no celular e a maneira como utilizam o equipamento. A ideia é ajudá-los na organização da vida e diminuir problemas causados pelo uso excessivo do celular, como ansiedade e depressão. “Estou aqui representando muitos jovens e quero incentivar que eles tirem os sonhos do papel, assim como eu estou fazendo”, finalizou.

SEED PAPER: As amigas Rackel e Steicy criaram um projeto de empresa especializada em embalagens biodegradáveis para perfumarias. “Estava na minha casa num dia normal e ganhei um perfume. Fiquei com a embalagem de papel não e me perguntei quantas embalagens são jogadas fora todos os dias no Brasil e no mundo”, contou Rackel. A SEED PAPER vai criar embalagens feitas com sementes, que podem ser cultivadas e virarem plantas.

LOS BARBADOS: Inspirado em nomes como Mark Zuckerberg, Bill Gates e Noah Yuval Harari, o jovem Diego – que se apresenta como músico, desenhista e empreendedor em formação – quer abrir uma barbearia que promova a ressocialização de pessoas em situação rua, oferecendo serviços de estética masculina e cursos técnicos na área. “Essas pessoas são invisíveis para a sociedade, mas atrás de cada rosto tem uma história”, disse, Diego. “Com esse projeto, quero atingir, no mínimo, 60% da população de rua de Curitiba e Região Metropolitana”, completou.

FLORES DO CAMINHO: Com o lema “em vez de pedras, flores no caminho”, os amigos Sara e Victor querem reflorestar o bairro Afonso Pena, em São José dos Pinhais. “A região tem muitas construções, mas poucas áreas verdes. Isso é muito preocupante por causa do aquecimento global”, explica Sara. A proposta da dupla é distribuir mudas pela vizinhança falando sobre a importância da arborização e ensinando a fazer o plantio correto.

Projeto LTB: Também inspiradas nos desafios do bairro, o grupo quer fazer ações sociais para retirar lixo de terrenos baldios. De acordo com as integrantes, esse tem sido um problema que acarreta muitos outros: desvalorização dos imóveis do entorno, atração de bichos e utilização do espaço para uso de drogas. A solução que encontraram é não só fazer uma destinação correta do lixo, como também reaproveitar materiais recicláveis para fazer artesanatos e gerar renda para as próximas ações.

FOKE STUDIO: O projeto tem a missão de resgatar a autoestima da mulher por meio da maquiagem e da fotografia. “Queremos mostrar que toda mulher é seu próprio padrão de beleza, para que ela sinta-se mais segura. A gente percebeu que a baixa autoestima pode acarretar ansiedade, pânico e, muitas vezes a depressão”, explicou Eliane, uma das criadoras do projeto.

Experiências compartilhadas

Os projetos foram apresentados a uma banca de profissionais com o objetivo de ajudar os jovens no amadurecimento de suas ideias. Ao final, três projetos foram premiados: O Som do Trabalho, Los Barbados e Trans Evolução. “Eu aprendi muito nesse programa, aprendi a ser protagonista da minha vida. Os professores foram muito bons, ajudaram não só nas aulas, mas com apoio emocional. Me motivou ainda mais fazer algo no setor social”, contou a estudante do 1º ano do Ensino Médio, Bianca Coutinho. “O curso me mostrou maneiras diferentes de ver as coisas. Maneiras de ser melhor, tanto no projeto quanto na minha casa. Aprendi que posso ver os problemas de outra forma. Acho que a experiência desse curso vai ser para a vida toda”, disse Jaqueline Ferreira, do 2º ano. Ambas são integrantes do projeto O Som do Trabalho.

No fim, em roda de conversa, todos tiveram a oportunidade de falar sobre a experiência. “Parabéns ao Instituto Legado, ao Instituto Boticário e à Quíron pelo projeto. Foi maravilhoso ver o ânimo, o entusiasmo e a vontade desses jovens. Isso é o que muda o mundo”, avaliou a coordenadora da Elo Apoio Social e Ambiental, Cláudia Rodrigues. “Estamos aqui falando sobre sonhos e eu só posso agradecer a esses jovens por fazerem nosso sonho valer a pena. A vida de empreendedor não é fácil e empreender socialmente tem uma pitada de desafio a mais, mas eles têm potencial para voar muito mais longe do que imaginam”, disse o CEO e cofundador da Quíron, Fernando Granato.

Os estudantes puderam levar amigos e familiares para assistir à apresentação. A dona de casa Dilma Oliveira estava emocionada ao ver o filho Diego no palco, falando sobre a Los Barbados. “Ele não tinha contado nada sobre o projeto, quis fazer uma surpresa e eu fiquei realmente emocionada. Espero que ele cresça cada vez mais e coloque em prática o projeto que criou. Que futuramente seja um grande empreendedor do país”.

Dona Ivone Cochak fez questão de se levantar para falar sobre a neta Rackel. “Eu quero dizer que estou muito orgulhosa por ver minha neta se disponibilizando para ter novos conhecimentos. Ele me convidou dizendo que sou uma das pessoas mais importantes e eu vim lá da praia para vê-la. Viria a pé se fosse preciso e quero dar parabéns a todos os jovens”, disse a avó emocionada.

Os jovens ainda saíram com uma boa notícia: o Grupo Boticário vai iniciar um programa de aprendizagem no próximo ano e eles poderão participar.