O Supremo Tribunal Federal decidiu criminalizar ações que discriminem pessoas pela orientação sexual ou identidade de gênero. Sobre este assunto, conversamos com Karollyne Nascimento, coordenadora do Transgrupo Marcela Prado, e Michele Bravos, fundadora do Instituto Aurora.

2 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *