Fotos: Antônio More
Texto: Stephane Sena

Iniciativas terão o investimento financeiro para aplicar em expansão de impacto. Todas as organizações que participaram do Projeto Legado ainda receberão um ano de mentoria gratuita

Na noite desta quarta-feira (29) quase 600 pessoas, ligadas às mais diversas causas sociais, vivenciaram um momento único de celebração. Depois um longo processo de capacitações, desafios e bancas de avaliação, o Projeto Legado 2017 foi concluído com 40 organizações socioambientais qualificadas e prontas para ampliar o impacto de suas iniciativas em prol da transformação do Brasil. O Legado Experiência, realizado no Teatro Fernanda Montenegro, foi marcado por uma verdadeira imersão na arte inclusiva e pela entrega do Prêmio Legado de Empreendedorismo, em que três instituições do Projeto Legado 2017 foram contempladas com o investimento financeiro de R$ 10 mil.

Durante a premiação, a diretoria do Instituo Legado também anunciou que todas as 20 organizações que estiveram no grupo de expansão de impacto no programa de capacitação receberão um ano de mentoria gratuita para desenvolverem ainda mais suas iniciativas. A ideia surgiu para mostrar que todas elas são verdadeiras vencedoras, não só por fazerem a diferença em suas comunidades, mas por buscarem conhecimento para atingir e empoderar mais pessoas.

Conheça o trabalho das contempladas:

5C: Do município de Paranaguá, a 5C – Centro Cultural Cecília Correa Carvalho – foi uma das organizações que receberam o prêmio.  Criada em 2015 pelo pedagogo João Costa, a 5C retira crianças da vulnerabilidade social por meio de cinco valores: conscientização, conhecimento, cultura, cooperação e comunidade. “O prêmio significou que fazer o bem sempre vale a pena e que a gente deve buscar por uma sociedade mais igualitária, mais justa e que respeite as diferenças. Mesmo com pouco é possível transformar realidades e mudas a vida de outras pessoas”, afirma o empreendedor social. “Tudo isso vai servir de exemplo para que as crianças lembrem que pessoas acreditam nelas e que elas podem ser o que quiserem”, completa.

Com os R$ 10 mil, João vai comprar materiais e equipamentos para criar o Cine 5C, um projeto que, por meio de filmes e documentários educativos, terá a proposta de promover a reflexão e o senso crítico nas crianças. “Queremos que elas mudem comportamentos e transformem o comportamento das pessoas que as cercam”, explica.

WAAS: O projeto We are all Smart (WAAS) empodera jovens oferecendo conhecimento e inspiração por meio de projetos de educação tecnológica para que eles se desenvolvam e possam criar soluções para problemas de suas comunidades. A metodologia segue os moldes das artes marciais, onde os participantes são desafiados a terem um crescimento pessoal a partir de esforço e treinamento. Foi por meio desse trabalho que três estudantes de um colégio público estadual venceram a etapa nacional da competição tecnológica Space Apps Challenge e vão conhecer a Nasa.  Com o prêmio, a WAAS pretende replicar sua metodologia para trabalhar em parceria com instituições de ensino.

“Nós do projeto acreditamos que a diferença no futuro está nas mãos dos jovens. Claro, a gente também tem que contribuir, mas a primeira coisa que a gente tem a fazer com esses jovens não é dizer que precisa diminuir a maioridade penal e colocá-los na cadeia, mas sim mostrar que eles são o futuro e que eles podem ser aquilo que quiserem, a partir do momento que eles quiserem fazer isso”, falou emocionada a diretora da WAAS, Arlete Scheleider.

Barco Sorriso: Levar atendimento odontológico e educação em saúde a comunidades litorâneas isoladas é o projeto da Barco Sorriso. Criada em 2013, a iniciativa é integralmente voluntária e tem o objetivo de promover melhoria contínua da qualidade de vida local. Uma equipe de voluntários se mobiliza para chegar a essas comunidades em um barco, levando equipamentos, conhecimento e muita vontade de mudar vidas, especialmente de crianças e idosos. “Nós tínhamos esperança de conquistar o prêmio, mas não imaginávamos que realmente íamos conseguir porque estávamos ao lado de projetos maravilhosos. Esse ano foi muito intenso, tivemos uma reorganização interna, muito por causa das aulas que o Projeto Legado trouxe. O prêmio veio coroar nosso esforço e o carinho com que a gente faz as coisas. Ficamos muito felizes e deu para ver isso nos olhos de cada voluntário que esteva lá o orgulho e a alegria. Ainda estamos em êxtase”, conta a fundadora da Barco Sorriso, Lorayne Claudino.

“Fora todo o aprendizado, todo os contatos que a gente fez, pessoas maravilhosas e projetos lindos que a gente conheceu e vai levar para toda a vida, o valor que a gente ganhou vai ser direcionado para a formalização do projeto, que a ainda não tem CNPJ. Temos certeza absoluta que essa transformação é necessária, precisa de um apoio jurídico por causa de todos os detalhes que envolvem um projeto que vai para lugares inóspitos, que envolve riscos. Tenho certeza que isso vai abrir milhões de portas. Tem empresas que querem ajudar, mas precisam do nosso CNPJ para concretizar isso. Quem sabe, logo teremos a Barco Sorriso em São Paulo, mais adiante no Rio de Janeiro, em Santa Catarina…Estamos muito agradecidos”, finaliza Lorayne.

Já somos 100
O evento desta quarta-feira também comemorou o marco de 100 organizações sociais apoiadas pelo Instituto Legado. Desde 2013, a instituição vem capacitando gratuitamente 20 projetos socioambientais por ano, por meio de oficinas e formações nas mais diferentes áreas. Foram mais de 500 horas de capacitação para mais de 200 empreendedores sociais.  No Instituto Legado, nós levamos o empreendedorismo para o social, levamos a metodologia do empreendedorismo de mercado para quem quiser realizar uma ação social competente. Nós levamos também o social para o empreendedorismo porque nós acreditamos que chegará o dia que, se não for social não será empreendedorismo”, afirmou o fundador e presidente do Instituto Legado, James Marins.

“A gente dá voz para quem não teve tantas oportunidades”, explicou a gestora de projetos sociais do Instituto Legado, Beatriz Groxco, que também agradeceu o apoio de voluntários, investidores e facilitadores que têm permitido ao Projeto Legado chegar cada vez mais longe, atingindo instituições de São Paulo, Minas Gerais, Ceará e diferentes regiões do Paraná, como Palmeira, Guarapuava, Maringá, Piên, Paranaguá, além da vasta penetração na capital e na Região Metropolitana.

A celebração foi realizada em grande estilo. Com uma imersão na arte inclusiva, o público acompanhou performances artísticas, entre dança e leitura de poesia, lançamento de livro e atrações musicais. No coquetel, o empreendedorismo social foi representado pelo negócio social Bike Fruit, que tem a missão de facilitar o acesso à alimentação saudável e de qualidade, de forma justa e sustentável.

Grandes novidades ainda estão por vir!

Confira como foi o Legado Experiências: